Testemunho na primeira pessoa do terrível e duro fantasma que é viver com depressão

21
Jul 08

Tudo o que faço ou medito

fica sempre na metade

querendo, quero o infinito.

Fazendo, nada é verdade.

 

Que nojo de mim me fica

ao olhar para o que faço!

Minha alma é lúcida e rica,

e eu sou um mar de sargaço-

 

Um mar onde bóiam lentos

fragmentos de uma mar de além...

vontades ou pensamentos?

Não o sei e sei-o bem.

publicado por fantasma-depressao às 02:00

Julho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
23
24
26

27
28
29
30
31


arquivos
2008

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO